Intel marca história do esport brasileiro com o IEM Rio Major

O Intel Extreme Masters Rio Major 2022 de Counter-Strike: Global Offensive trouxe pela primeira vez no Brasil um Major da categoria, se tornando um campeonato que ficará para sempre na memória do torcedor. O circuito de torneios da Intel já havia passado por aqui algumas vezes, mas os 12 dias de evento deram continuidade à trajetória iniciada a mais de 15 anos atrás e marcou para sempre a história dos esportes eletrônicos no país.

No tão aguardado mundial, a Intel fez muito mais do que dar o nome da marca ao campeonato. A empresa apoiou a iniciativa quando ainda era uma ideia e embarcou nesse propósito de pioneirismo. Foi assim que, depois de 17 Majors realizados no eixo Europa e Estados Unidos, a América do Sul, mais especificamente o Brasil, sediou o torneio pela primeira vez na história.

Com o desafio aceito, estávamos na ponta do iceberg. Faltava todo o resto, que muitos já devem imaginar — reuniões, contratos, logísticas de equipamentos e pessoas. A burocracia de que qualquer evento precisa para poder acontecer. De qualquer forma, o mais interessante de toda essa história é que a Intel foi além e se mostrou onipresente no evento.

Já falamos da parte do nome. Além disso, a Intel estava presente nas arenas, dentro dos computadores utilizados pelos melhores do mundo, com processadores Intel® Core™ da 12ª Geração, garantindo a melhor performance possível. Tanto no Riocentro quanto na Jeunesse Arena.

E na fan fest do Gaules? Lá estava a Intel mais uma vez. Na parte indoor, a empresa contava com estandes promovendo diversas ações. As de maiores destaques foram a apresentação da linha de processadores recém-lançada, o Intel® Core™ de 13ª Geração e os campeonatos para os visitantes, em que vencedores eram premiados com processadores Intel® Core™ i9 de 12ª Geração. Inclusive, não bastassem os novos processadores, a empresa lançou, há pouco, os GPUs Intel ARC, que prometem experiência de ponta em jogos, criação e streaming.

Continua após a publicidade..

Tudo isso sem contar os sortudos que foram presenteados com processadores no palco, dentro das arenas, com as ações comandadas por Amanda “AMD” Abreu, influenciadora do Time Azul da Intel e que também estava comentando as melhores jogadas do Major. E as presenças ilustres da ex pro-player e CEO da Black Dragons, Nicolle “Cherrygumms” Merhy e do streamer Alessandro “The Darkness” Antóquio nas ativações do palco no estande da Intel.

AMD e Cherrygumms animaram o estande da Intel no Major / Foto: Intel
A torcida brasileira fez a festa mais bonita já vista nos esports e merecia o presente. No mesmo evento, a marca foi capaz de atender profissionais, visitantes e influenciadores.

Além de apresentar toda a sua linha de processadores e trazer influenciadores, a Intel trouxe também ações que vem fazendo a diferença no mercado de tecnologia, como é o caso do Recicla PC, uma parceria entre Intel e Circular Brain que dá desconto na compra de um computador novo quando um velho é descartado.

A empresa conseguiu mostrar ao público como é simples fazer o descarte de computadores antigos que depois são convertidos em créditos para usar em um upgrade no futuro.

O Recicla PC pode ser acessado também fora do IEM. Para isso, basta entrar no site da campanha e informar alguns detalhes do PC a ser descartado, como estado de funcionamento (bom, razoável e não funcional), qual fabricante e configuração de hardware.

O IEM Rio Major, por si só, já era gigante. A Intel, ainda assim, teve o cuidado de criar e oferecer experiências, tornando o Mundial ainda mais completo. Um momento único para quem viveu de pertinho.

 

CS:GO: Gaules somou mais de 20,6 milhões de horas assistidas
A história da IEM, o evento mais longevo dos esports
Especial IEM: “Eles nunca vão entender”
Como mencionado no início do texto, o Intel Extreme Masters Rio Major 2022 ficará marcado para sempre na história do esport nacional. Com tantos elogios dos atletas e casters internacionais e outro IEM marcado para 2023, ficou claro que o evento será o grande responsável por colocar de vez o Brasil e a América Latina no mapa do competitivo de Counter-Strike. E, quem sabe, de outras modalidades que ficaram de olho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continua após a publicidade..